Segunda-feira, 8 de Outubro de 2007

Cinco Razões para se fazer sócio

Algumas das pessoas que já foram convidadas para sócios da APPDH, a primeira coisa que pretendem saber é textual: "o que ficam a ganhar?" Em resposta, sugere-se que a pergunta seja feita ao contrário: o que é que ficam a perder...

 

Ao aderir a este projecto, o associado paga uma quota de 5,00 euros mensais. Diremos que cerca de 50% das pessoas não ficam mais pobres ao fim do mês com menos cinco euros no bolso. Se tivermos em conta o dinheiro que espontaneamente ou inadvertidamente gastamos mal gasto, por vezes em coisas supérfluas ou mesmo fúteis, chegaremos à conclusão de que a nossa contribuição, ainda que não tenha retorno directo é todavia bem aplicada, dados os fins nobres que atinge.

Já temos duas razões assinaladas, vamos à terceira.

 

Não sentimos o prestígio que trazem para Portugal organizações como a AMI (Assistência Médica Internacional)? E a prestimosa assistência que realiza em Portugal?

 

E já imaginamos o trabalho que a APPDH pode realizar com a ajuda de todos, em Portugal e em todo o mundo, sensibilizando as boas-vontades e elaborando projectos dos quais podem nascer importantes soluções para desmesurados problemas?

 

Quarta razão.

Esta Quarta razão responde às pessoas que desiludidas e descrentes já não acreditam na promoção e dignificação do homem, ao dizerem: "Isto já não tem solução; não há ninguém capaz de endireitar o mundo e livrá-lo do abismo". E a resposta, que poderia ser mais ampla, consiste apenas em factos de si bem concludentes:

Não é verdade que o Homem é o ser mais inteligente, mais capaz e mais realizador? Que é a superior espécie? Então vamos procurar orientar as suas capacidades para o bem em detrimento do mal, não em termos absolutos, mas no máximo que for possível.

 

Quinta razão.

Ao promovermos e dignificarmos o Homem estamos também a dignificar-nos individualmente porque, como seres humanos e superiores, estamos a contribuir para um mundo melhor no sentido de uma interdependência (irreversível) mais tranquíla, em satisfatória paz e melhor segurança. Mesmo que já estejamos velhos, mesmo que se pense já não irmos usufruir os consequentes benefícios, tenhamos em conta o futuro dos nossos filhos e a construção de um mundo melhor.

    

Para terminar, diremos que as pessoas com o mínimo de posses, para além de não terem nada a perder e ao subscreverem-se associados, terão o nosso jornal em distribuição gratuíta, podendo vir ainda a participar, com relevantes vantagens em relação aos não sócios em espectáculos, em provas desportivas e em convívios vários organizados por esta Associação.

 

Va lá, sejamos cooperantes e solidários...

 

 

PARA QUE SERVE ESTA ASSOCIAÇÃO?

 

Algumas pessoas, ao lhes ser dado conhecimento da APPDH, procuram saber: "para que serve?"

 

E isto também acontece com outras pessoas que já leram o nosso regulamento interno, o qual insere a matéria base dos nossos estatutos, sucinta mas algo esclarecedora.

 

Quanto à promoção e dignificação do Homem, existe um campo de acções inesgotáveis, a começar pela sensibilização, passando pelas conferências, pela realização de projectos que visem soluções contidas nos nossos objectivos, pela edição do jornal e por muito mais que nos seja possível fazer: realizar um trabalho de base até às altas esferas.

 

É evidente que iremos elaborar um programa de actividades tão vasto quanto a nossa capacidade financeira o permitir. Não vamos fazer de polícias nem de juízes porque não pretendemos fazer acusa-ções nem julgar quem quer que seja, por acharmos que no futuro os polícias não existirão para assustar e terão como tarefa principal defender e proteger as pessoas e seus bens, enquanto os juízes procurarão promover o entendimento entre os contendores e evitar as condenações, sempre nefastas para os autores e para os réus. Concretamente, não vamos obrigar quem quer que seja nem exercer acções pressionáveis, antes despertar as vontades e as consciências e mostrar os caminhos das possíveis e credíveis

 

Por outro lado, o programa de actividades não vai ser estático nem condicionado. Vamos assemelhar-nos aos bombeiros, que apagam os fogos onde a sua presença mais se faz sentir. E iremos também apreciar as sugestões que nos forem colocadas.De resto, os. pressupostos contidos no nosso regulamento interno são vastamente abrangentes. Estaremos atentos e mobilizados com a devida premência.  

O LIVRO BÍBLIA DO FUTURO

 

Com a Associação Portuguesa para a Promoção e Dignificação do Homem a dar os primeiros passos, muitas pessoas passaram a sentir interesse em lerem o lívro que lhe serve de ideário. Quem dessejar adquiri-lo poderá dirigir-se à APPDH e levantá-lo, ou encomendá-lo por e-mail, por via postal ou pelo telefone e recebê-lo em casa. Trata-se de uma oferta do autor, a quem presentear a Associação com um donativo igual ou superior a 16 euros. Tem 278 páginas. Não é um livro religioso nem professa tendências religiosas.Também não procura demover quem quer que seja das suas convições nem exercer qualquer tipo de instrumentalização. Tanto as quotas como os donativos podem ser deduzidos nos impostos. Veja os nossos contactos nesta publicação.

 

CONTRIBUTOS E DONATIVOS

 

Esta Associação necessita de fundos para realizar o maior número possível de acções no âmbito dos seus objectivos. Não pretendemos que os beneméritos dispendam quantias que façam falta à sua sobrevivência nem afectem os orçamentos das empresas. Os contributos através dos donativos não estão sujeitos a valores mínimos, pode doar o que quiser e puder e deduzir aos impostos, bem como as quotas pagas pelos sócios.

 

Por sua vez, o Estado não vai ficar prejudicado com estas deduções, já que a APPDH vai prestar relevantes serviços ao país e a curto prazo também no estrangeiro. Sejamos todos solidários. Veja a nossa conta bancária nesta publicação e envie-nos, por e-mail ou via postal o justificativo para de seguida lhe remetermos o respectivo recibo. Aqueles que desejarem anonimato será por nós cumprido, cujos valores ficarão registados no extracto bancário e contabilizados em receitas.

 

Com a Associação Portuguesa para a Promoção e Dignificação do Homem a dar os primeiros passos, muitas pessoas passaram a sentir interesse em lerem o lívro que lhe serve de ideário. Quem dessejar adquiri-lo poderá dirigir-se à APPDH e levantá-lo, ou encomendá-lo por e-mail, por via postal ou pelo telefone e recebê-lo em casa. Trata-se de uma oferta do autor, a quem presentear a Associação com um donativo igual ou superior a 16 euros. Tem 278 páginas. Não é um livro religioso nem professa tendências religiosas.Também não procura demover quem quer que seja das suas convições nem exercer qualquer tipo de instrumentalização. Tanto as quotas como os donativos podem ser deduzidos nos impostos. Veja os nossos contactos nesta publicação.

 

 

 

publicado por promover e dignificar às 14:01

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. A HEPATITE “A” E OS MAUS ...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. APPDH – Para que servimos...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. O DIFÍCIL E COMPLICADO PR...

. Inserção Humana – PROJECT...

. COMUNICADO AOS ASSOCIADOS

.arquivos

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Janeiro 2011

. Abril 2010

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds