Sexta-feira, 8 de Fevereiro de 2008

Pagina 15

Continuação da pagina 7

 

AS VÁRIAS PROFECIAS

É normal

Pelo que se tem ouvido dizer, os grandes homens de todos os tempos tinham uma espécie de loucura qualquer. Fossem letrados ou analfabetos, como o profeta Trancoso, o famoso Bandarra. Segundo o antigo testamento sempre houve profectas, quase desde o princípio do mundo. Um dos que mais admiro no antigo testamento é Elias. Talvez porque ele anunciou exaustivamente a vinda do Messias, o nosso irmão maior: Jesus Cristo. Anunciou a vinda, o sofrimento, a morte, a ressureição e a glória. E se bem a interpretarmos, vemos lá a sua próxima vinda,

Outra grande professia é a dos Papas. A mais transcendente é de um bispo de cerca do ano 1100. Veio a ser chamado de Santo - o São Malaquias. Nas suas professias do fim dos tempos só se referia à vinda dos Papas e ao que iriam fazer. Se bem estudarmos essas leituras, verificamos não estarem longe da verdade, embora a Igreja Católica possa dizer que, em meia dúzia de Papas, não foi bem assim. Existiram os Papas depravados, como a família dos Bérgias.Existiu Paulo II, do qual refiro as suas 3 últimas profecias. O último, o que está empossado, contestado, às vezes por bispos e padres e pelas orientações que desja cimentar. Quis impor as missas todas em latim. Até hoje, principalmente em Portugal, ninguém levou tal a sério. Todos queremos participar na missa e em latim iriamos ficar mudos, tal como antes de Paulo VI. Quer acabar com os cumprimentos quase no final, de que os católicos tanto gostam, pois por esse acto vêm a família e amigos com quem estão desavindos. Ninguém abdica desse acto. Existem mais directrizes que os bispos não estão a aceitar e a seguir. Depois de um Papa amoroso, bondoso, fraterno, que mais viagens fez e sem saúde para levar o amor de JESUS CRISTO, a palavra, o conhecimento, a paz de Deus a todos os povos. Foi, sem dúvida, o Papa do amor.

Faço uma pergunta nesta altura: quem pensam que foi o Papa João Paulo II? Esta pergunta já está respondida em algumas escolas de grande espiritualidade. E vós, caros leitores? Pensaram que tinha de ter força interior fora do normal para fazer o que fez, escrever o que escreveu, levar Jesus a todo o mundo, mesmo depois de gravemente doente? Ajoelhar-se em todos os países e deitar-se no chão para beijar a terra onde o senhor o levava? No último ano, já não podendo ajoelhar-se não deixou de levar CRISTO a mais países, inclusive à Turquia onde foi avisado de que podia ser morto. Mas foi, sem medo e pediu para lhe chegarem a terra à boca para a beijar. Pergunto novamente: quem pensam que era João Paulo II? Paraferaseando Jesus, que perguntava a Pedro e aos outros apóstolos, após fazer mais uns milagres – historiadores dizem que ele fazia milagres desde criança -, os apóstolos responderam: uns dizem que és Elias, outros que és João Batista, que voltaste, outros Jeremias. Jesus inquiri-os de novo: E vós, quem dizeis que eu sou? Resposta: tu és o enviado, o Messias que Deus tinha prometido, és o filho de Deus.

Ao ler as várias Bíblias e a última feita há poucos anos por várias religiões com o apoio do Papa do Amor João Paulo II, digo eu, nenhum Jesus recriminou por terem dito que era Elias, João Batista, etc. Porque nós somos um conjunto de várias vidas. Talvez numa próxima vez eu aprofunde e explicarei quem terá sido João Paulo II. Voltando às profecias de Malaquias, com quase mil anos e face às visões proféticas deste Santo da Igreja Católica, o fim do mundo – ou o fim deste cíclo de vida – de acordo com várias profecias, termina com o próximo Papa, que será o preparador da segunda vinda de Jesus. Conforme tinha prometido, viria buscar os seus seguidores..

Voltando a Nostradamos, várias pessoas estudaram, nos últimos 50 anos, as profecias no sentido de descobrirem o ano do fim dos tempos, do mundo, do cíclo cristão. Cada autor apontou anos diferentes: 2010, 2012, 2015, 2025, 2045, 2050, todos com interpretações diferentes. Eu não estou virado para nenhuma data nem digo como será, deixo a resposta para Jesus.

Quando os apóstulos conversavam e Jesus lhes disse que voltaria de novo, estes perguntaram:lhe: quando, senhor? E Jesus respondeu: só o PAI que está nos céus e saberá. Mas quando verdes pais matarem filhos, filhos a matarem pais, corrupção alarmante, maus governos, tremores de terra, cheias fora de época, leiam na bíblia os actos dos apóstulos, o apocalípse, leiam as cartas de S. Paulo e tirarão conclusões do fim dos tempos. Esse dia virá. Façam por ser bons, pratiquem a caridade, levem a paz a todos os lares, ajudem os pobres que são cada vez mais devido ao desemprego, ajudem os seres com fome, que serão cada vez mais, e não têm casa.

Todos nós temos pobres na família, vizinhos desempregados e com fome. Cada vez mais a fome está instalada nos países ricos, que no entanto fornecem armas aos mais pobres. Deste assunto falarei mais tarde.

Voltando a Jesus, ele foi ao casamento de um primo e, tendo acabado o vinho, sua mãe lhe disse: Jesus, o vinho acabou! Ele respondeu: que quer que faça? Ainda não chegou a minha hora... Mas, olhando para a mãe fez o seu primeiro milagre inserto na bíblia, transformando água no melhor vinho.

Também eu gostaria de ajudar os ricos – aqueles de que Jesus disse, é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino dos Céus. Sei que alguns vão passar mas ficam sem perceber que é dando aos necessitados que se recebe. Alguns nem à porta do céu chegarão. Deixo uma mensagem a esses ricos insensíveis: que não esqueçam os pobres e criem lares, instituições, fundações e o mais que lhes aprouver com os milhões que Deus lhes proporcionou e não pensem apenas juntar mais e mais ao que já lhes sobra. Uma garantia todos temos: quando partirmos na viagem definitiva fica cá tudo e chaga-se ao encontro de Jesus sem nada, porque fica tudo na Terra, muitas vezes ao abandono. Além do mais muitos são os que perdem a alma, que é ela, a alma, que interessa a Deus. Todos devemos fazer o bem enquanto cá estamos, ricos e pobres, com os recursos de que dispomos: dinheiro, acompanhamento, solidariedade, assistência e tudo o mais para promovermos e dignificarmos o próximo e assim estaremos a preparar o futuro para DEUS. Ou seja, preparar a mala para a última viagem, que a temos certa. Era isto que Cristo queria dizer ao mandar dar de comer a quem tem fome. Eu também aprendi, desde criança, que quem dá aos pobres empresta a Deus. E digo mais: quem dá aos pobres está a prover a sua conta no Banco do Céu.

Tendo aludido ao que julgo suficiente às profecias que estão mais consernentes com o tempo presente, não deixarei de referir outras que para mim são de realçar. Leonardo Da Vince, Maias, do nosso Bandarra, a merecerem análise mais profunda em posterior artigo. Quando era ainda criança, meu pai mandava-me estudar muito, para ter um lugar de relevo na cultura. E, na verdade, se meditarmos bem, quando partirmos rumo ao infinito de onde viemos para prestarmos conta da nossa vida, podemos concluir que a única bagagem que levamos é tudo que conseguimos aprender: lendo, estudando, também a reconhecer os erros que cometemos e dos quais tiramos boas lições durante a nossa vida. Tudo o resto cá fica. Uma só pessoa vale mais de mil, se for mais nobre que estas. Este pensamento tem milhares de anos. Se bem me lembro, era de Horaclito. Outro pensamento mais recente, este de Newton: "se me quiser contradizer, negar o que sei, faça como eu, estude e documente-se".

Termino com cumprimentos a todos que me lerem.

as pessoas lerem os diversos livros sobre profecias, as mais desenvolvidas e interpretáveis, aquelas que levaram mais pessoas, algumas escritores, a estudar o que está por detrás dos enigmas curiosos, que são sem dúvida as profecias de Nostradamos. Um médico para uns iluminado; para outros um louco.

 

Chama bailarina!
Efeito: Convidamos dois espectadores a subirem ao palco. Pedimos um lenço emprestado e convidamos os dois espectadores a pegarem pelas pontas do lenço, de tal modo que este fique esticado.
Mandamos pôr a sala na semiobscuridade. Então acendemos um isqueiro e aproximamos a chama do lado superior do lenço. A chama passará de um lado para o outro da face superior do lenço.
Explicação: Temos outro isqueiro na nossa mão esquerda. Este isqueiro não dá chama, mas somente deixa sair gás.
Quando acendemos o primeiro isqueiro, colocamos o segundo por debaixo do lenço. A chama do primeiro pasa para o gás emitido através do lenço pelo segundo. Passeando com este por debaixo do lenço, a chama acompanha estes movimentos, deslocando-se pela face superior do lenço sem o queimar dando a ilusão de que a chama trespassa o lenço.
Desaparição de um coelho
Efeito: Temos em cima da mesa uma caixa sem tampa e vendo-se através do orificio o interior da caixa. Mostramos a caixa vazia, podendo mesmo passá-la para as mãos dos espectadores. Uma vez observada é colocada de novo na mesa.
Mostramos então um coelho e introduzimo-lo na caixa à vista de todos.Fechamos a caixa e as paredes laterais têm um orificio por onde metemos uma espada de metal, a qual atravessa a caixa de lado a lado. Depois de uma passes de mágica retiramos a espada e a caixa aparece surpreendentemente vazia! O coelho despareceu!
Explicação: A caixa está pintada de preto, o que dificulta a percepção dos espectadores àcerca do seu interior. O segredo está em que, quando fechamos a caixa deixamos soltar uma tábua que está no interior presa e que divide a caixa em duas partes, ficando o coelho completamente tapado. A espada com que atravesamos a caixa serve para tornar a ilusão mais perfeita e, além disso, evita que o animal possa movimentar-se e levantar a tábua que o encobre. Ao virarmos a caixa ao contrario fica à mostra o lado no qual o coelho está, dando a ilusão de que reapareceu!


Previsão de uma carta

porte à vista de todo o publico no qual, pensa o publico, está a previsão de uma carta. Em seguida descemos à plateia levando uma bandeja, um copo e dois dados. Pedimos a um espectador que jogue os dados e some as pintas das faces superior e inferior dos mesmos.
Feito isto, pedimos a um outro espectador para se dirigir ao palco e contar tantas cartas, a partir do cimo do baralho, quantos os pontos somados nos dados. A ultima carta é mostrada à assistencia.
Pedimos em seguida que seja aberto o subscrito e se tire a carta que ele encerra. Com surpresa, as cartas sao do mesmo naipe e do mesmo valor!
Explicação: a soma das pintas das faces opostas de um dado é sempre 7. Em dois dados a soma é 14, em três 21, etc. Podemos utilizar numa sessÃo apenas dois dados, noutra três, etc, e colocamos a carta a prever em decimo quarto lugar ou vigésimo primeiro, respectivamente.

Vem aí a Primavera

 Não obstante ainda vestirmos o sobretudo e a samarra em face do frio que vai subsistindo e da neve que cai, vamos contando pelos dedos os dias que nos faltam para entrar na Primavera. Essa estação em que acontece o desabrochar dos cravos e das rosas, o sol a raiar mais vivo, as pessoas a despirem as roupas pesadas em troca pelas mais leves. Uma estação de ternura e amor, inspiradora dos poetas românticos.

     Depois de se usar e abusar de uma gastronomia mais calórica junto da lareira e nas quadras festivas – Natal, passagem do ano e carnaval, é altura de começar a expelir as gorduras supérfluas, até porque vão aparecer dias solarentos que convidam a visitar o mar e a usar o fato de banho. Mostrar o corpo nu e não decepcionar. Apresentar o peso próximo do ideal, expor os dotes corporais e a elegância. Assim, é necessário fazer uma alimentação mais regrada, esquecer as pastelarias  e não abusar de outros alimetos calóricos. Fazer desporto, andar a pé, subir e descer escadas e correr. Dar movimento às articulações e desenferrujá-las; dar movimento mais operativo ao aparelho circulatório. No fundo, sentirmo-nos melhor e preservar a saúde.

     Vamos envolver os familiares, em especial as crianças, num lazer colectivo e auspicioso. Também elas, as crianças, necessitam de ser educadasno sentido de, tal como nós, consumirem mais frutas e vegetais, controlar o peso porque quando crescerem é mais difícil dar a volta. Não apenas no meio familiar, mas também nas cantinas das escolas, com dietas alimentares regradas e mais saudáveis. Já vimos quantas crianças são obesas a baixo dos 10 anos de idade? E as doenças que consequentemente vão adquirindo fora de tempo?

     Sempre que possível devemos procurar o campo, desfrutar do ar puro, contemplar o evoluir vegetativo das plantas. Não nos esqueçamos das tarefas profissionais que constituem o afirmar das pessoas evoluídas na produção de bens essenciais e que dignificam a nossa condição superior aos olhos da sociedade.

     Mesmo sem sairmos dos meios em que vivemos, todos os anos empreendemos 4 viagens distintas, tantas quantas são as estações do ano. Em cada uma destas viagens temos de fazer a nossa migração em termos de adaptação e da forma de nos vestirmos, de nos alimentarmos, de vivermos em normal actualização. Lá diz o ditado, quem vai ao mar aparelha-se em terra. E não esquecemos de que estamos quase às portas da Primavera, sendo altura de se fazer os necessários preparativos para entrarmos nela.

 

 

 

Carlos Machado – Naturapêuta e Parapsicólogo

publicado por promover e dignificar às 16:31

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. A HEPATITE “A” E OS MAUS ...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. APPDH – Para que servimos...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. O DIFÍCIL E COMPLICADO PR...

. Inserção Humana – PROJECT...

. COMUNICADO AOS ASSOCIADOS

.arquivos

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Janeiro 2011

. Abril 2010

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds