Quarta-feira, 24 de Setembro de 2008

Novos socios

Novos sócios,

 

Inscreva-se associado e arranje novo associado.

Leia a informação que se segue.

 

 

publicado por promover e dignificar às 13:11

link do post | comentar | favorito
|

Ficha de inscrção - Inscreva-se associado e arranje novos socios

                                                 

                Associação Portuguesa para a Promoção e Dignificação do Homem

 

                                                            - APPDH -

 

 

                                                   - Ficha de Inscrição –

 

Nome: _______________________________________________________________

 

Morada: ______________________________________________________________

 

 _____________________________________________________________________

 

Código Postal: ______ - _____ Localidade: ________________________________

 

Data de Nascimento: ___/___/_____     Nacionalidade: _____________________

 

Telefone: _______________________    Telemóvel: _________________________

 

Contribuinte: __________________       Bilhete Identidade: __________________

 

E-mail:  ______________________________________________________________

 

 

Data de Admissão: ____/____/_______

 

Categoria    Efectivo:           Honorário:            Benemérito:

 

Observações:

 

_____________________________________________________________________

       

 

                  Pela Associação                             Assinatura do Associado

 

 

_____________________________     ________________________________

 

 

Conta Bancária do BPI: 0-3899481.000.001 / NIB 0010 0000 38994810001 50

 

 

 

 

              Sede: Rua Arco do Marquês do Alegrete, Palácio dos Aboim, nº2 – 5.1

                1100-034 Lisboa Telefone: 213428300     associacaoppdh@sapo.pt

                                        Nº Pessoa Colectiva 508 263 840

publicado por promover e dignificar às 13:10

link do post | comentar | favorito
|

Contribua para a realização dos nossos projectos!Heis um dos primeiros:

 

 

               Projecto "Apoio Psicossocial a Vítimas de Prostituição e Sem-Abrigo"

O modelo de intervenção que orienta a prática do nosso Projecto assenta na interacção directa com a população, técnicos e outros agentes, serviços públicos e instituições locais para um processo participativo, estrategicamente planeado e avaliado, que favoreça o estabelecimento de formas dinâmicas de parceria e que resultem na Promoção e Dignificação do Homem.

Objectivos:

População Alvo

Zona de actuação:

-Grande Lisboa: Zonas urbanas empobrecidas (bairros

sociais e degradados) Identificar área: Martim Moniz, Intendente (e.g.)

 

Metodologia:

Equipa de Rua

VS Sede de Atendimento

Pretendemos actuar no terreno através do contacto directo com prostitutas e sem-abrigo sinalizados/as pela equipa ou encaminhados/as por 3ºs (terceiros).

A um primeiro nível a abordagem será feita no sentido de estabelecer relação com o próprio contexto em que estas pessoas vivem. Tentar caracterizar as condições sócio-habitacionais do individuo e ambiente envolvente.

Seguidamente a equipa mobilizará os recursos necessários, consoante a especificidade de cada caso, para o planeamento de um projecto de vida adequado a cada prostituta ou sem-abrigo.

A nossa abordagem passará por uma intervenção ao nível biopsicossocial, com o objectivo ultimo da integração do indivíduo na sociedade de uma forma estruturada.

O nosso trabalho engloba, sempre que haja necessidade, o encaminhamento destas pessoas para estruturas de apoio mais diferenciado, como hospitais, instituições de reabilitação, organismos de formação profissional, escolas, etc.

  • Espaço fisico: Sede da Associação Portuguesa para Promoção e Dignificação do Homem, situada na Rua Arco do Marquês do Alegrete,Palácio dos Aboim, nº 2 - 5.1, em Lisboa.
  • Equipa técnica: 5 Técnicos na área da segurança, acção social, psicossocial, apoio médico e encaminhamento.
  • Este projecto estará ainda disponivel aos técnicos atrás designados e, que em regime de voluntariado, queiram dar o seu contributo.
  • Material: computadores, mobiliário.
  • Acordos e Parcerias: Para a realização deste projecto necessitamos de estabelecer parcerias com os vários organismos intervenientes no processo de reabilitação das prostitutas e dos sem-abrigo. Entre outros, contaremos com os já enumerados acima: Segurança Social, sectores da Administração Pública e tecido empresarial.

Educação para a Saúde: Área da Toxicodependência, Área das DST (Prevenção/ Tratamento/ Seguimento)

 

Intervenção da Equipa Técnica

Promover o Acesso aos cuidados de saúde necessários

a) Na Sede, em gabinete de consulta: Atendimento e Aconselhamento Clínico de prostitutas/ Sem-Abrigo de forma a reforçar a acessibilidade destes grupos vulneráveis aos serviços de saúde primários.

b) Programas Psicopedagógicos de Educação para a Saúde: Minimizar as práticas problemáticas de consumo de drogas.

c) A possibilidade de criação de uma unidade móvel, permitido melhorar a acessibilidade de grupos vulneráveis aos serviços de saúde primários.

d) Gabinete de Apoio de Intervenção Psicológica, dirigido às pessoas com doença do foro mental ou psiquiátrico,que concomitantemente pertençam a esta população.

e) Sinalização e Encaminhamento para os organismos próprios, de casos que careçam de apoio social e cuidados de saúde continuados.

f) Estabelecer parceria com Centros de Saúde, Serviços Hospitalares, Centros de Emergência Social e outras instituições através de protocolo defenindo linhas orientadoras de acompanhamento pela equipa/ encaminhamento da pessoa.

Promover os Recursos Necessários à Obtenção de Emprego:

  1. Favorecer o acesso a um emprego duradouro e de qualidade para todas as mulheres e todos os homens em condições de trabalhar.
  2. Implementação de rercursos de apoio à procura de emprego, superando os obstáculos à aceitação de candidatos a emprego com um historial de vida diferenciado.
  3. Acções de Sensibilização junto de Entidades Empregadoras para a inclusão contra as discriminações.
  4. Promover uma Componente de Formação para o Emprego - acções de natureza formativa ou de formação profissional, que visem a melhoria de competências pessoais e sociais da pessoa, habilitando-a.
  5. Articulação com as entidades responsáveis pela área do Emprego: IEFP, Empresas Trabalho Temporário, outras.
  6. Para as acções previstas nas alíneas anteriores, o Jornal O Estafeta terá relevante função na interligação dos parceiros, das entidades em geral e da sensibilização articulada com o apoio psicossocial.

 

Promover o Acesso efectivo à Protecção e Educação de Crianças do Agregado Familiar

 

  • Instituir um acompanhamento directo e continuado às crianças (Idade escolar e pré-escolar), promovendo um adequado desenvolvimento das suas capacidades cognitivas e emocionais.
  • Prevenir e sinalizar situações de risco, que possam colocar em causa a segurança de crianças e familiares envolvidos.
  • Reforçar laços afectivo-familiares entre membros da família núclear e família mais alargada.
  • Implementar na sede, actividades didácticas relacionadas com a cultura, o desporto e actividades de tempos livres, numa perspectiva de utilidade educacional e social - Introduzir nestas acções o Voluntariado Jovem.
  • Articular estratégias de encaminhamento/ planos de intervenção em parceria com infantários/ escolas/ Centros de Acolhimento.
  • Favorecer a reabilitação Psicossocial das mulheres que se dedicam à prostituição; (Vítimas de Prostituição)
  • Favorecer a integração social dos sem-abrigo da cidade de Lisboa;
  • Responder às necessidades de Aconselhamento, Acompanhamento e Encaminhamento desta população, nas áreas da Saúde, Emprego e Educação.
  • :

    Orçamento para o primeiro ano (l2 meses)

    A APPDH,

    instituída em 27 de Setembro de 2007 pela sua 1ª Assembleia - Geral, debate-se com dificuldades financeiras, como é compreensível. O seu numero de associados é ainda diminuto e as despesas correntes (administracção, edição do jornal "O Estafeta" com periodicidade mensal e o expediente burocrático) estão a ser asseguradas pela contribuição de alguns associados fundadores, até que seja possível à Associação Portuguesa para a Promoção e Dignificação do Homem ganhar autonomia financeira.

     

    Para o projecto em epígrafe são calculadas as despesas/custos, da seguinte forma:

    Espaço físico 600,00€ x l2 meses = 7.200.00 €

    Computadores, equipamento informático, material de diagnóstico e mobiliário

    = 7.000.00 €

     

    5 Técnicos na área da segurança, acção social, psicossocial, apoio médico,e encaminhamento, remunerados em regime de part-time:

    600,00€ x l2 meses = 86.400,00 €

    80 Apoios (80 pessoas) monetários à reinserção, em média nos 3 primeiros meses

    500,00€ x 3 meses x 80 apoiados 1/ 1.500.00€ x 80 = l20.000,00 €

    Unidade móvel 3.000,00 €

    Combustível e despesas de manutenção durante um ano 1.500,00 €

     

    Despesas emergentes de assistência não especificadas 6.000.00 €

    _____

    Total Geral 231.100,00 €

    Receitas próprias a incorporar 10% 23.110.00 €

    Verbas necessárias à efectivação e consumação do projecto:

    207.990,00 €

     

     

     

    se configurem na média mensal, pelo que as pessoas apoiadas serão em número superior ao indicado, no fim do primeiro ano.

    Por outro lado, as acções a desenvolver poderão proporcionar mais apoios e ganharem maior dimensão em relação ao previsto, se as contribuições que forem obejecto de apoio superarem as expectativas.

     

     

    Lisboa, 7 de Maio de 2008

    O projecto será equacionado por forma a que as medidas e acções a desenvolver

     

     

    Sinalizar, Intervir e Encaminhar

     

     

    publicado por promover e dignificar às 13:09

    link do post | comentar | favorito
    |

    ...

     

     

     

     

     

     

    Esta Associação está prestes a completar 1 ano de vida e pretende preencher o vazio existente no que à Promoção e Dignificação do Homem diz respeito. Os fundamentos são inegavelmente justificados, tendo em conta, entre outras, as seguintes razões:

    - A profunda escalada de violência e de atentados ao respeito e dignidade do ser humano;

    - A xenofobia, a vingança, os nefastos comportamentos, a hegemonia que grassa com a desgraça de outros e a ameaça do futuro pela degradação do presente;

    - A misantropia a ocupar o lugar da fisantropia, com morticínios pela fome e pelas doenças, sem concreta justificação;

    - O crescente avolumar dos actos criminosos e dos malefícios organizados, com a condição superior do ser humano a carecer de dignificação;

    - E com os gestores das vidas das pessoas e dos destinos do mundo em aparentes preocupações, mas abandonando as terapias conducentes à erradicação dos males, quase sempre afastados das metas que importa atingir.

     

    e a capacidade de dominar e de tudo gerir, cabe-nos também a responsabilidade de preservar e edificar os valores que temos ao alcance, com a promoção e a dignificação do homem bem presentes no nossos horizontes.

     

     

     

    dom

    O que pedimos a todo e qualquer ser humano é que tenha em conta o facto de sermos na Terra, como em todo o Universo que se conhece, a única espécie com assinalável inteligência e com capacidade de evoluir e de operar maravilhosas realizações, que avalie e assimile esta fenomenal condição, e cada qual por si trabalhe em prol de causas nobres para que cada indivíduo ajude todo o mundo e o mundo ajude cada indivíduo. Já que temos o

     

    RAZÕES DA NOSSA EXISTÊNCIA

     

     

    Pela nossa parte pretendemos sensibilizar e galvanizar as melhores vontades e todas as forças vivas para que seja realizado o necessário trabalho promotor e dignificante, na verdadeira acepção da condição superior.

    Não pretendemos fazer de polícias, assustando e prendendo, nem fazer de juízes, condenando e castigando, como forma de melhorar o mundo, porque também não pretendemos a priori ter poder deliberativo em coisa alguma, antes percorrer os caminhos necessários para irmos a todo o lado, sensibilizando e promovendo os valores que defendemos.

    Aconselhamos todos aqueles que comunguem das nossas sensibilidades e preocupações a consultarem os nossos Estatutos (Regulamento Interno) no nosso Blog, para em concreto melhor ficarem a conhecer as tarefas que pretendemos realizar e os caminhos que nos propomos percorrer. Desde já realçamos algumas das nossas obrigatórias tarefas, a saber:

    • Criar comissões compostas por individualidades com formação cívica, moral e intelectual, mandatadas para a realização de conferências em locais a definir, com vista à promoção de soluções para os problemas que sejam motivo de preocupação quanto ao estado degradativo da vida de pessoas e de populações, abrangendo tanto situações especificamente isoladas como de carácter universal, apresentando as soluções que se configurem mais adequadas, e dessas conferências publicar actas para enviar a quem de direito, mobilizando ainda a participação da Comunicação Social para que o eco dos nossos gritos de alerta possam ser o mais abrangentes possível;

     

    • Prestar a possível colaboração a outras organizações com objectivos humanos e filantrópicos em geral, quer em meios resultantes de recursos próprios, quer pelo apoio do nosso jornal "O Estafeta", de periodicidade mensal, de que foram feitas já 5 edições de distribuição nacional, também inseridas no nosso blog;
    • Criar Delegações Associativas em outros pontos do país e do mundo, para nos podermos transformar em federação com âmbito mundial e sermos reconhecidos pelas Nações Unidas.

    COMO PODEMOS CONSTRUIR UM MUNDO MELHOR

    Como "a União faz a Força", necessitamos de implementar um grande movimento associativo, já que é através dos associados que podemos crescer e nos tornarmos credíveis, fortes e profícuos no nosso trabalho.

    CAMPANHA DE ASSOCIADOS

    Não temos a pretensão de vir a ter, no curto prazo, tantos sócios como o Benfica, ou como outro grande clube de associados. Queremos entretanto referir que os sócios dos clubes, de outras colectividades ou sem qualquer filiação, podem fazer a sua inscrição na APPDH. O valor da quota mensal é de 5,00€, valor facilmente suportável comparado com o de alguns clubes, quantia que não deixa ninguém mais pobre no fim do mês. Referimo-nos às pessoas que dispõem de uma vida estável sem carências básicas.

    E o que é que os sócios ficam a lucrar? Uma pergunta frequentemente repetida.

    1ª - Tendo em conta que o associado está a contribuir para um mundo melhor e para as relações humanas e sociais, bem como para a segurança e a ordem pública de que também beneficia, lucra desfrutar da satisfação da sua contribuição para situações e valores inestimáveis;

    2º - Ter um sentimento nobre pelo privilégio de fazer parte de uma organização que tem a missão de promover e dignificar o homem, com todas as vantagens daí resultantes;

    3º - Sentir que não está envolvido em nenhuma utopia sustentada pelos cépticos ao perspectivarem de que "não há volta a dar, ninguém consegue endireitar o mundo e livrá-lo do abismo". É que utópico é tudo o que não esteja ao alcance da realização do homem, e tudo o que a APPDH se propõe empreender é realizável, embora difícil. E tem sido mercê de tarefas difíceis mas prestigiantes que muitas pessoas levaram por diante os seus projectos, que hoje desfrutamos de tudo de bom que temos e evoluímos em vários sentidos. Não é verdade que o homem é o ser mais inteligente, mais capaz, mais realizador e que é nele que reside a superior espécie? Então vamos orientar as nossascapacidades para o bem, em detrimento do mal.

    4º - Os sócios, para além do pagamento das quotas, podem (e devem) ter uma participação activa, comparecendo nas Assembleias Gerais, elegendo os órgãos dirigentes, formulando sugestões, participando em eventos e espectáculos promovidos pela APPDH, com os normais privilégios atribuídos aos sócios. Terão também o jornal "O Estafeta" em distribuição gratuita, em que também poderão colaborar, além de outras benesses a promover.

    EFEITO BOLA-DE-NEVE

     

    cada sócio arranje outro sócio, o novo sócio arranje outro e assim sucessivamente. Será desta forma que a APPDH crescerá imparavelmente para chegarmos a todos os cantos do mundo. Inscreva-se, tire cópias desta informação e deste apelo, envie-as ou entregue-as aos seus amigos e familiares, ajude a reunir as sensibilidades.

     

     

     

    bola-de-neve:

    Depois da informação que acabamos de disponibilizar, solicitamos a todas as pessoas que comungam da nossa sensibilidade filantrópica, nos ajudem a reunir esforços para fazermos crescer o número de associados. Preencham a ficha de associado junta e façam parte desta família que tem por objecto a realização de actos nobres. E ajudem a produzir o efeito

    Ficamos à espera do seu contacto pelo telefone, via postal ou Email. Entregue-nos ou envie-nos a ficha preenchida. O pagamento das quotas pode ser em dinheiro, cheque ou por depósito na conta do BPI. Emitiremos e enviaremos um cartão de sócio efectivo/fundador plastificado, cujo custo é de 2,00€, bem como o competente recibo. E, por fim, sugerimos que saiba mais de nós acedendo ao nosso blog.

     

     

     

     

    Com os cumprimentos e agradecimentos do Presidente da Direcção -

     

     

     

     

     

    Valdemiro E. Sousa.

    INFORMAÇÃO AOS SÓCIOS - SUBSCRITOS E A SUBSCREVER

     

    publicado por promover e dignificar às 13:04

    link do post | comentar | favorito
    |

    .mais sobre mim

    .pesquisar

     

    .Março 2017

    Dom
    Seg
    Ter
    Qua
    Qui
    Sex
    Sab
    1
    2
    3
    4
    5
    6
    7
    8
    9
    10
    11
    12
    13
    14
    16
    17
    18
    19
    20
    22
    23
    24
    25
    26
    27
    28
    29
    30

    .posts recentes

    . A HEPATITE “A” E OS MAUS ...

    . TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

    . TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

    . TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

    . TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

    . APPDH – Para que servimos...

    . TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

    . O DIFÍCIL E COMPLICADO PR...

    . Inserção Humana – PROJECT...

    . COMUNICADO AOS ASSOCIADOS

    .arquivos

    . Março 2017

    . Fevereiro 2017

    . Janeiro 2012

    . Dezembro 2011

    . Maio 2011

    . Abril 2011

    . Janeiro 2011

    . Abril 2010

    . Janeiro 2009

    . Dezembro 2008

    . Setembro 2008

    . Junho 2008

    . Abril 2008

    . Março 2008

    . Fevereiro 2008

    . Janeiro 2008

    . Dezembro 2007

    . Outubro 2007

    . Setembro 2007

    blogs SAPO

    .subscrever feeds