Quinta-feira, 24 de Abril de 2008

Pagina 16

ANUNCIADOS GRANDES PROJECTOS DE
 DESENVOLVIMENTO PARA O CONCELHO DE SESIMBRA

No número 3 deste jornal publicámos um artigo fazendo mensão dos boicotes fundamentalistas ao desenvolvimento turístico, em que se falava da Mata de Sesimbra e da Unidade Operativa de Alfarim. Tivemos como principal objectivo aludir aos grandes projectos de empreendimentos turísticos apresentados para esta região, como forma de criar riqueza e emprego para a Promoção e Dignificação das populações através da melhoria de condições de vida.
Finalmente surge a boa notícia: O plano de pormenor da Mata de Sesimbra foi aprovado em Assembleia Municipal e vai ser publicado em Diário da República. Não sem ter sido alvo de críticas mal fundamentadas, ou por falta de conhecimento ou por má fé, acabando por levantar dúvidas e confundir a opinião pública.
Na recente publicação do Município de Sesimbra, é dada nota destas grandes decisões com parceiros favoráveis das entidades envolvidas.
Nesta publicação são colocadas várias questões, tais como:

Vai haver carga turística excessiva?
O número máximo de camas previsto é de pouco mais de 19 mil camas. O nível médio de ocupação deste tipo de empreendimentos é de 40 por cento, o que se traduz numa ocupação média de 8 mil turistas, muito inferior ás dezenas de milhares de pessoas que visitam as nosssas praias, só ao fim-de-semana, sem os impactos positivos na actividade económica do concelho que a actividade túristica pode representar. O emprego e desenvolvimento económico são também elementos fundamentais da sustentabilidade.

Os empreendimentos que vão surgir:
Estão previstos 4 hoteis, 11 aldeamentos turísticos  e 3 ou 4 campos de golf, para além de equipamentos desportivos, culturais, religiosos, de saúde, comércio e recreio.

Contributo para o desenvolvimento do concelho e da região:
Para além da utilização de mais de 50% de materiais de construção e de bens alimentares provenientes de um raio de 50 quilómetros, o empreendimento prevê a criação de cerca de 11.000 postos de trabalho directos e indirectos. Ao nível dos serviços, o plano previligia a oferta  dos fornecedores locais. A concretização da rede viária prevista terá efeitos multiplicadores sobre as restantes actividades: o relançamento e sustentabilidade da exploração florestal serão uma realidade.

Vai haver mais turismo ao longo do ano?
O projecto permite ao município, utilizando as suas características  territoriais naturais, ser líder no turismo sustentável e reorganizar a sua oferta turística para os mercados internacionais, potencializando a regular presença de turistas ao longo do ano.

Vantagens no plano ambiental:
O plano tem objectivos ambientais ambiciosos, pioneiros e nunca alcançados em nenhum outro projecto  turístico conhecido. A utilização de mais de 50% de materiais recicláveis, a eliminação de mais de 90%  de materiais tóxicos, em comparação com casas típicas, a redução  de 40% de energia eléctrica  através da instalação de aplicações  de classe energética A, ou a redução de 44% da ventilação  energética através de soluções movidas a ventos, são algumas das metas. Existem ainda soluções ambiciosas  para a redução do lixo, para a produção  de energia renovável, para a conservação e reutilização da água.

Depois de ter sido aprovado por unanimidade pelo executivo municipal e por maioria  pela Assembleia Municipal,  o plano vai agora ser publicado em Diário da República , seguindo-se a avaliação  de impacto ambiental, a aprovação das obras de urbanização e a celebração do contrato de urbanização.
Não obstante a demora que ainda vai acontecer até ao início das obras dos grandes projectos enunciados, a boa notícia está aí, com a provável garantia de que nada recuará. Certamente vão ser colocados alguns obstantes fundamentalismos, que não serão suficientemente impeditivos da obra que vai surgir em prol do desenvolvimento regional e do país.
É também a convicção do Presidente Arquitecto Augusto Pólvora, embora ainda magoado com a desinformação e a demagogia, pelo que se pode ler no seu Editorial, que transcrevemos:

 

"Nas últimas semanas,

É legítimo discordar da carga construtiva prevista no Plano, mas não é legítimo afirmar que o mesmo viola o PDM neste aspecto ou não cumpre os pareceres das entidades que sobre o mesmo se pronunciam.

É legítimo discordar do modelo turístico proposto, mas não é legítimo dizer que estamos perante um projecto imobiliário e não turístico.

Augusto Pólvora É legítimo achar que era preferível deixar tudo como está,

Presidente da Câmara de Sesimbra

expansão descontrolada dos areiros, mas não é legítimo afirmar que uma ocupação exclusivamente turística de apenas 10 por cento da mata, associada a um Plano de Gestão Ambiental e a um Plano de Acessibilidades com financiamento garantido, põe em causa o desenvolvimento sustentável do concelho.

Há uma diferença substancial entre opinião e faltar à verdade. Ao disponibilizar no seu síte da Internet todos os documentos mais significativos sobre o Plano de Pormenor da Mata de Sesimbra e seus antecedentes, a Câmara Municipal pretende contribuir para estreitar o limite entre a desinformação e a demagogia, entre quem estando de boa fé tem uma opinião crítica e quem insiste na mentira".

com uma mata não sustentável, com um pinhal doente e a

A postura do arquitecto Augusto Pólvora, na qualidade de Presidente de um concelho com vastas potencialidades no desenvolvimento turístico e às portas de Lisboa, demonstra estar seriamente interessado em realizar obra, lutando contra todas as adversidades em prol do desenvolvimento da região e do país, bem como da promoção das condições de vida das populações, o que representa também um acto dignificante.
     E "O Estafeta" aplaude.

 

A Associação Portuguesa para a Promoção e Dignificação do Homem promove o Prémio 2008 para Estudantes de Jornalismo "PROMOÇÃO E DIGNIFICAÇÃO DO HOMEM", destinado a estudantes do ensino superior de jornalismo, e que visa incentivar e premiar os melhores trabalhos em língua portuguesa realizados sobre este tema, só podendo participar no concurso estudantes do ensino superior de Jornalismo/Comunicação Social.

Serão admitidos a concurso os trabalhos, individuais e inéditos, que incidam sobre o tema -  Promoção e Dignificação do Homem.
Os candidatos farão acompanhar os seus artigos ou reportagens com elementos de identificação e morada completa, com prova da sua situação de estudante do ensino superior de Jornalismo, indicando o estabelecimento de ensino. Ao concorrer, os participantes autorizam a APPDH a publicar os seus trabalhos no Jornal O ESTAFETA, fazendo menção de que o trabalho enviado se destina ao concurso "Prémio de Jornalismo 2008".
Os artigos e/ou reportagens devem ser enviados para a sede da APPDH - Associação Portuguesa para a Promoção e Dignificação do Homem - Rua Arco Marquês do Alegrete, Palácio dos Aboim nº2 - 5.1 1100-034 Lisboa, ou ainda em mão própria e pelo
e-mail: associacaoppdh@sapo.pt.

Os trabalhos submetidos ao concurso 2008 podem desde já começar a ser enviados, sendo a data limite de recepção o dia 25 de Novembro do corrente ano, se bem que os recepcionados depois desta data poderão ser admitidos ao concurso 2009, se este for instituído.
A direcção do jornal O ESTAFETA irá publicar alguns trabalhos recepcionados, mediante prévia selecção.

Será constituído um Júri por 5 membros:
- 1 representante da APPDH, que presidirá;
- 3 de reconhecida notoriedade e competência na área da Comunicação Social;
- 1  representando o Clube ou Sindicato de Jornalistas;

Todos os trabalhos, já publicados ou não à data de 25 de Novembro, serão candidatos aos prémios e à apreciação do Júri.

Os trabalhos premiados serão publicados no Jornal O Estafeta em edições posteriores, ainda que já tenham sido inseridos em edições anteriores.
Desde já ficam definidos os valores mínimos a atribuir aos premiados, a saber:
- 1º - 1.500 €;
- 2º - 750 €;
- 3  - 500 € ..

Aos três trabalhos premiados será ainda atribuída uma medalha e o respectivo certificado.
A APPDH vai promover patrocínios relativos a este concurso, podendo os prémios ser elevados no seu valor, a decidir em função dos resultados dos patrocínios.
O anúncio dos premiados será comunicado aos próprios e os seus trabalhos serão publicados no Jornal nas edições imediatamente a seguir.

Por decisão do Júri poderá não ser atribuido qualquer dos prémios referidos, se nenhum dos trabalhos tiver qualidade que o justifique.
Estas são as condições básicas do concurso desde já definidas e que servirão de texto base para a elaboração do regulamento, a tornar público e a publicar até 31 de Outubro de 2008.

Subscreve este comunicado,
O Director do Jornal " O Estafeta".
      / Valdemiro E. Sousa /

            

depois da aprovação do plano de pormenor da Zona Sul da Mata de Sesimbra pela Assembleia Municipal, têm proliferado na comunicação social local os mais diversos artigos de opinião sobre o mesmo. O direito a ter opinião é legítimo e não se contesta. O que já não é legítimo e deve ser contestado é a falta de rigor e desinformação, quando não a mentira ostensiva, que prolifera nalguns desses artigos.
publicado por promover e dignificar às 12:10

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. A HEPATITE “A” E OS MAUS ...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. APPDH – Para que servimos...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. O DIFÍCIL E COMPLICADO PR...

. Inserção Humana – PROJECT...

. COMUNICADO AOS ASSOCIADOS

.arquivos

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Janeiro 2011

. Abril 2010

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds