Terça-feira, 3 de Junho de 2008

Pagina 14

Anedotas   

 

 DUPLAMENTE CASTIGADA

 

      A Miquelina tinha casado há 2 meses. Muito sentida foi ter com o pai apresentando queixa:
- Paizinho, o Francisco, meu marido, bateu-me...
- Bateu? Que lhe fizeste para tamanha ousadia? - inquiriu o pai, indignado.
    Resposta da Miquelina:
- Não fiz nada demais: ele é que não gostou da sopa de minhocas que lhe fiz...
   O pai, ainda mais indignado:
- Foi só por isso?  Devia era agradecer um pitéu desses... Ele já vai ter a paga que merece.
   E com toda a força, dá uma bofetada na Miquelina.
- Também o pai me bate, porquê? Por não lhe trazer a sopa de minhocas?
- Não é nada disso: volta para esse patife e diz-lhe que se ele bateu na minha filha, eu bati na mulher dele... A vingança está feita.

 

CORRECÇÃO INCORRECTA

- Elvira, vai ao correio entregar estas duas cartas - disse a patroa para a empregada.
No regresso, pergunta-lhe:
- Meteste cada carta na caixa certa?
- Meti, minha senhora, mas tive de trocar as moradas...
- Então porquê?
- É que a senhora colocou o selo de menor valor na carta que ia para a América e o de maior valor para a que ia para o Algarve...
- E porque não trocaste os selos, como devia ser?
- Minha senhora, eu fiz o que era mais fácil...


 
O MALANDRO DO HOSPEDE DO QUARTO 31

 

     O Zeca Morato é um indivíduo natural de Abrantes que passa a vida a rir, rir debochadamente com as partidas que prega aos outros, sendo ainda amigo da borga. Um dia apanhou o comboio e veio até Lisboa, percorrendo o Bairro Alto, o Parque Eduardo VII e ainda a Mouraria. Era noite de Santo António e muitas foram as raparigas que convidou para casamento. Dançou, brincou e riu imenso daquelas que, com ar sério, lhe responderam:
- Não posso aceitar, já estou casada!
  E ele, com zombaria, respondia a todas da mesma maneira:
- É pena, perde uma boa oportunidade de ficar bem casada...
Inesperadamente interrompeu uma gargalhada de orelha a orelha, para protestar todo desconsolado:
   -      Lá por lhe dar um beijo, é motivo para me dar com a mala na cara?...
 Já bastante exausto  pelas tropelias que cometera,  entrou num hotel, pediu um quarto para aquela noite e foi informado de que lhe fora atribuído o quarto 31. Olhou em frente e viu pendurara uma ardósia, como as que as crianças usam na escola, onde os viajantes marcam a hora em que desejam ser acordados. De imediato, marcou 6,5 horas. Mas para que não fosse o único a ser castigado pelo acordar cedo e em sobressalto, marcou a mesma hora para os quartos contíguos: os números 30 e 32. Não lhe custava tanto a sair dos lençóis, com os hóspedes vizinhos já em reboliço.
Sentiu que por este processo o despertar é menos brusco. Dormiu bem, teve sonhos cor de rosa.
      De madrugada, ruídos espantosos despertaram-no
do sonho, uma ilusão que não passou disso mesmo. Era o 30 que assim agradecia ao recepcionista do hotel tê-lo acordado à hora marcada.
      O Zeca Morato ria-se, de tal forma que mal podia manter-se em silêncio. A coisa foi ainda mais épica quando o recepcionista bateu à porta do 32: Pan... pan...  pan...
- O que é? - disse estremunhado o hospede do 32. Quem está aí?
- São seis e meia...
- Ah!... Tinha-me esquecido que me devia levantar cedo!
- O Zeca Morato encostou o ouvido ao tabique do 32 e ouviu o hóspede a murmurar:
- Seis horas e meia! Seis e meia! Mas que terei eu de fazer urgente esta manhã, de que não me lembro?
Depois, o desgraçado levantou-se, vestiu-se, sempre a  murmurar: seis horas e meia! Seis e meia! Mas que diabo tenho eu a fazer tão cedo?
Saiu do hotel ao mesmo tempo que o Zeca Morato. Aparentemente calmo, não disfarçava, palidamente, aquela preocupação matinal.
O Zeca Morato dirigiu-se para a estação de Santa Apolónia para apanhar o comboio. De vez em quando olhava na sua retaguarda e via o hospede do 32 a magicar e a esbracejar; enquanto o Zeca ria e se vangloriava. Mas, ao chegar à estação o comboio acabava de partir. Ele deixou de rir, de sentir graça, dizendo por fim para consigo mesmo:
- Toma, para não te arvorares em malandro! Se não perdesse tempo a  mangar do 32, não perdia o
comboio.

 

  UM LEÃO DE ORELHAS BAIXAS

Um leão passeava pomposa e arrogantemente pela savana, rugindo de rabo alçado. Encontrou uma zebra e perguntou-lhe:
- Quem é o rei da selva?
Resposta da zebra:
- Sois vós, rei leão.
A seguir encontrou-se com um grupo de hienas e fez-lhes a mesma pergunta:
- Sois vós, grande leão - responderam as hienas, assustadas.
Logo a seguir encontrou um elefante e perguntou-lhe:
- Dizei-me, grande animal feio e desajeitado: Quem é o rei da selva?
E o elefante, sem nada dizer, agarrou o leão pelo pescoço e atirou-o pelos ares, vindo a cair desamparado uns metros à frente. Este levantou-se e, a rastejar, disse com ar humilde:
- Lá por não saberes a resposta, não precisavas de ser bruto...


 POBRE CANÁRIO...

      Dois homens foram instalar uma alcatifa numa sala de uma cliente. Quando deram o trabalho por terminado  notaram haver um alto no meio do aposento. Surpresos tentaram  descobrir o que seria, dizendo um deles:
- Devem ser os meus cigarros! Procurei-os por todo o lado e não os encontrei...
   Diz o outro:
- Nem pensar levantarmos a alcatifa por causa de meia dúzia de cigarros. Vamos saltar-lhes em cima, a pés juntos, até o alto desaparecer.
   Quando já tinham acabado o trabalho  apareceu a dona da casa, muito simpática, que lhes disse:
- Trouxe-lhes um café e também os cigarros que tinham ficado na cozinha. Ando é preocupada porque o canário desapareceu e não o encontro. Por acaso não terão ideia de onde se possa ter metido?


ACONTECEU MAIS QUE O SUSTO


     Um citadino foi dar um passeio pelo campo e ficou encantado com um cavalo que encontrou. Resolveu comprá-lo. O dono não queria vendê-lo mas não resistiu perante a oferta que lhe foi feita. O novo dono quis montá-lo ali mesmo mas, quando tentou que ele andasse, o cavalo não obedeceu. Mas tudo se resolveu, com a devida informação do vendedor:
- É que este cavalo pertenceu a um padre e agora só anda quando lhe dizemos: "louvado seja Deus!" Para o parar é preciso dizer-lhe: “Amén".
   O novo dono lá disse "louvado seja Deus" e o cavalinho começou a galopar elegantemente. A certa altura estavam frente a um precipício e, já à beira da ravina puxou as rédeas, em pânico, mas o cavalo não parou. Lembrou-se entretanto de dizer "Amén", e o animal lá parou. Aliviado, o homem suspirou, dizendo:
- Louvado seja Deus!
   O cavalo retomou o galope, sem que o dono tivesse tempo de dizer "Amén"...

  SÓ O DINHEIRO VALE...

     Um contribuinte dirigiu-se a uma repartição de finanças e disse para o funcionário:
- Vou fazer-lhe uma surpresa a que o senhor não está habituado. Vou pagar-lhe com um fervoroso sorriso...
E o funcionário carrancudo:
   -   Deixe-se de conversa fiada. As finanças só aceitam dinheiro...

ANIMAIS QUE FALAM

     Um elefante passou pela esplanada de um restaurante e pediu um prato de arroz com grelos. O empregado, muito admirado serviu-o e o elefante pagou com uma nota de 100 euros,  pedindo o troco . Pensando que o elefante não percebia nada de dinheiro deu-lhe 10 euros de troco, dizendo-lhe:
- Obrigado,  não estamos habituados a clientes assim.
Resposta do elefante:
- Não admira, nenhum outro cliente aceitaria pagar 90 euros por um prato de arroz...

 

publicado por promover e dignificar às 10:44

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. A HEPATITE “A” E OS MAUS ...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. APPDH – Para que servimos...

. TÓPICOS A OBSERVAR NA ORI...

. O DIFÍCIL E COMPLICADO PR...

. Inserção Humana – PROJECT...

. COMUNICADO AOS ASSOCIADOS

.arquivos

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Janeiro 2011

. Abril 2010

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds